Atividades

Todos as atividades incluem diversas opções de passeios que permitirão aos hospedes conhecer muitas espécies da exuberante fauna e flora local.

Com espírito de aventura, nossos hospedes começam a desfrutar da floresta através de passeios de canoa, pescaria, observação da fauna local ou explorando a selva em caminhadas inesquecíveis sempre em companhia de nossos guias especializados.

A segurança não é esquecida, é obrigatória a utilização de coletes salva-vidas.

Passeio de Reconhecimento

Na chegada ao lodge organizaremos o primeiro contato com a Natureza, percorrendo os cursos d’agua do local em canoa motorizada.
Ao longo dos igarapés o visitante poderá observar bandos de araras e papagaios sobrevoando a floresta de igapós.
Na parte mais calma, orquídeas floridas refletem sua delicada forma nas águas escuras do Rio Negro. Extensas praias de areia formam-se nas proximidades do Rio Negro entre os meses de novembro e janeiro.

Pescaria de Piranha

Saída em canoa de madeira pelos igarapés do Rio Negro, com guia especializado que utilizando equipamentos simples de pesca amadora escolherá os melhores locais para a captura da famosa piranha, enquanto desfruta da paisagem ao redor.
A piranha é a espécie de peixe mais comum no Rio Negro e é pescada com mais frequência.
Nesta atividade você terá a oportunidade de pescar vários tipos de piranha, tais como: Piranha Caju (a mais comum e mais agressiva), Piranha Preta e a Piranha Prateada.
O melhor período para pescaria começa no mês de setembro indo até o mês de março.

Passeio Noturno com Focagem de Jacaré

Navegando pelos pequenos canais em canoa de madeira para apreciar os sons da noite na selva com todo mistério de uma noite tropical, os guias especializados usando lanternas mostrarão a fauna noturna constituída principalmente de algumas espécies de jacaré, abundante na região, para captura, observação e posterior devolução ao seu habitat natural.
O tamanho do jacaré depende de sua idade e nesta excursão, tanto se pode capturar jacaré com poucos meses como também de 5 anos de idade.
A paciência, a calma e o silêncio são essenciais para captura destes animais.

Visita aos Botos Cor-de-Rosa

Visita aos nativos onde de uma plataforma flutuante, o guia chama os botos batendo a mão na água para o momento maior de fascínio, quando os primeiros animais surgem como num balé aquático de reconhecimento.
Tomar banho com botos sempre foi uma cena rara e inimaginável para muitos. Com parte da cabeça fora d’agua, os botos se aproximam calmamente e apresentam o bico aberto para pegar o pedaço de peixe da mão do turista, proporcionando uma rara oportunidade de poder nadar, filmar e fotografar, uma das espécies mais fascinantes da Amazônia.

Canoagem

Passeio em canoa de madeira a remo pelos “Igarapés” (pequenos afluentes) e “igapós” (floresta inundada, somente no período da cheia).
O igapó é uma das características mais peculiares da região, vastas extensões de florestas são invadidas anualmente pelas águas do Rio Negro, onde apesar de ficar inundada até 15 metros de profundidade durante 5 a 7 meses por ano a vegetação do igapó é sempre exuberante.
Além das árvores, os animais, desde os diminutos invertebrados, até os peixes, anfíbios, répteis e mamíferos também desenvolveram incríveis adaptações para viverem nessas áreas inundadas.
Os visitantes desfrutarão neste passeio dos sons e da paisagem que se abre a cada curva e entrança de água na mata, com grande probabilidade de encontrar bichos preguiça, iguanas, diversidade de pássaros e outros.

Caminhada na Selva

Fazer trekking na floresta Amazônica é definitivamente uma experiência marcante de uma viagem à Amazônia. A caminhada na selva é um momento de interagir com a floresta, pisar no solo, observar os insetos, sentir o calor e a umidade.
Liderados por guias experientes locais, os visitantes explorarão a floresta para obter conhecimentos gerais. Existe uma grande diversidade de plantas medicinais, diferentes tipos de árvores.
Os turistas terão a oportunidade de ver também vários tipos de cipó, a Seringueira, a Samaumeira que é a maior árvore da região, entre outros. Durante a caminhada o guia explicará também a respeito da rica e exuberante fauna típica da região.

Visita aos Nativos da Região

Saída para visitar as famílias de nativos “Caboclos” ou “Ribeirinhos” (segunda geração indígena).
Estas pessoas sobrevivem na selva Amazônica seguindo as tradições da cultura indígena e os visitantes poderão apreciar como eles são felizes em mostrar o estilo de vida que levam.
Conhecerão um pouco da sua simplicidade de viver e a utilização dos recursos naturais para sua sub-existência, tais como, a construção das suas moradias, o cultivo de frutas regionais e plantas medicinais e também a fabricação artesanal da farinha de mandioca.
Estas famílias desenvolveram o seu próprio método e máquinas para produzir farinha que servirá como sua alimentação básica e para trocar por outros bens necessários.
O caminho até a casa é feito em canoa, é recomendável o uso de protetor solar e que tragam uma capa para chuva.

Visita aos Índios do Tupé

Dentre os atrativos culturais, os visitantes tem a oportunidade de participar e vivenciar o modo de vida dos índios desta região, que ainda mantêm os seus costumes e tradições.
Visitaremos a “Oca da etnia Dessana”, localizada na área da reserva de desenvolvimento sustentável do Tupé no Rio Negro para conhecer o seu modo de vida simples, artesanatos, tradições e suas práticas que garantem a conservação ambiental.
Os índios mantêm a sua tradição que é baseada em regras sociais, religiosas e políticas, valorizam a terra e usam a própria natureza para utilização de suas necessidades de consumo.
Atualmente se destacam pela manufatura de adornos como cocares, colares, e confecção de cestos, esteiras, potes, etc.

Visita à Vila de Paricatuba

Na pequena aldeia chamada Paricatuba, as pessoas tinham uma vida tranquila (primeiros anos da década de 90 do século XIX), até que o governo local decidiu construir um prédio que serviria como um albergue para imigrantes italianos.
Naquela época, o Estado do Amazonas (Brasil) teve um forte crescimento econômico por causa da extração da borracha.
A pousada foi abandonada por volta do ano 1900. Então, o lugar começou a ser usado como uma prisão (Casa de Detenção) até 1924.
Após este período, o edifício foi usado como um hospital para coleta e tratamento de leprosos que viviam em área de Manaus.
Agora o lugar tem um conjunto de ruínas, que são características da história da região

Pernoite na Floresta

Saída de canoa motorizada para acampar nas terras altas do Rio Negro, caracterizados por floresta primária e árvores de grande porte, utilizando redes e telas mosqueteiras para pernoitar.
Em esta atividade o guia ensinará como sobreviver na floresta, utilizando apenas os recursos naturais sem danificar o ecossistema.
O café da manhã e jantar serão providenciados na fogueira que será feita pelo guia experiente e que aproveitaremos para nos esquentar a noite.
Ao anoitecer, se ouve centenas de ruídos ao mesmo tempo, que fazem ter certeza de que não se está sozinho naquela imensidão verde. Após o café da manhã, caminhada na selva e um banho de rio, antes de pegar a canoa de volta para o lodge.